Instagram

Instagram has returned invalid data.

siga @daniele_honorato

destaques emagrecimento lchf low carb

Minha escolha: LCHF – comida de verdade

outubro 20, 2016

Quando me perguntam “o que eu fiz para emagrecer” a resposta é: “eu quis“. Conselho de amiga: não adianta você seguir aquela dieta milagrosa, ou até mesmo o cardápio que a nutri passou com todo cuidado e de acordo com seu organismo se, dentro de você, você não quer de fato, emagrecer. A vontade tem que brilhar na sua mente. E você pode até achar bizarro eu falar isso, porque é muito fácil acreditar que um dia você levanta da cama e pronto, a vontade brota. A vontade aparece e pronto, você começa todo um processo de emagrecimento e dá certo. Não, não dá.

Consigo dizer o dia que resolvi encarar isso de frente e, na minha mente, foi algo do tipo a “última dieta da minha vida” – sinceramente, sempre encarei dieta como uma palavra tenebrosa. Mas dieta, nada mais é, daquilo que você se alimenta não só por um período de tempo, mas ao decorrer da sua vida.

O grande erro da maioria das pessoas que querem emagrecer é achar que uma “dieta” resolve tudo e quando se atinge o objetivo, ela acaba e você volta com hábitos antigos, aqueles mesmo que te tiveram engordar por um longo período de tempo.

Dieta não é isso, dieta é aquilo que você vai comer pelo resto da sua vida.

Se te receitaram uma dieta cheia de grãos (e você odeia grãos) e pobre em carnes (mas você ama uma carne) – você já começa de maneira errada.

De todas as vezes que tentei emagrecer mas não com aquela força que vem de dentro, sabe como é? Nenhuma delas deu certo. O que mais eliminei na vida foi quando tinha 25 anos e, em um ano, foram embora 33kg. Eram 4 horas na academia e aquela alimentação “sem graça” (pão integral, barrinha de cereal – o quanto de açúcar tem naquilo?! – leite desnatado, iogurte desnatado para lanchinhos, zero gordura, mil cairboidratos)

O tempo passou, restaurante aqui, restaurante ali, ansiedade a mil… quase tudo o que eliminei, recuperei.

Não sou nutricionista (já fui à várias) e nem profissional da área para indicar para você aquilo que funcionou para mim. Acredito que cada um tem que procurar aquilo que acha melhor para si próprio. Cada saúde é um caso e você precisa se preocupar com a sua.

A minha eu sei que estava com picos de insulina deixando meu apetite a mil – ou melhor, a vontade de comer – a mil – comendo sem nem perceber, sem critério algum. Qualquer porcaria, qualquer coisa que encontrasse era algo para eu comer.

Lendo artigos científicos, procurei sobre “compulsão alimentar” e ansiedade x alimentação e caía em artigos sobre uma tal alimentação LCHF – ou seja – LOW CARB HIGH FAT. Isso mesmo, Baixo Cairboidrato, ALTA GORDURA.

Sabe tudo aquilo que você aprendeu desde pequena sobre a pirâmide alimentar, que gordura não pode, mas pão integral é ok? Que manteiga estraga seu coração mas a margarina light é que cura seu colesterol? Pois é. Esqueci.

Depois que você começa a ler os artigos, estudos e pesquisas você fica atordoada como tudo aquilo faz sentido.

Não comecei a LCHF logo de cara. Eu estudei MUITO antes de começar. Você pode se jogar no bacon com ovos no café da manhã logo no primeiro dia, mas se você não tiver seu repertório bem formado e um conhecimento consolidade sobre o assunto vai se sentir “culpada” por PODER comer essas coisas gostosas. Afinal, é o discurso do mundo sendo desmacarado ali, na sua frente, no seu prato.

Portanto, nada melhor do que se informar antes de começar e, principalmente, não falar besteira ou coisa errada sobre a Low Carb. (e tem muito!)

Para leitura indico demais o blog do Dr. Souto (http://www.lowcarb-paleo.com.br) – ele é incrível e praticamente uma bíblia da Low Carb/Paleo. Lá tem todas as diferenças, o que pode e não pode comer, sobre doenças, colesterol, adoçantes, tudo o que imaginar.

Outro que adoro é Vida Low Carb da Mariana Montezzana – tem todo o diário do emagrecimento dela, com várias receitinhas e dicas.

O Eat Low Carb High Fat também é fantástico com várias receitas e informações. (em inglês)

Depois de muito estudar, bora partir para essa alimentação que controla os níveis de insulina do sangue, te sacia e te deixa bem. É muito bom para ser verdade, né? E acreditem, é!

Paguei para ver o quanto a LCHF realmente te saciava e te deixava sem fome. Aliás, o meu maior problema é que eu comia o tempo todo. E sem nem perceber! Não era fome, era vontade de comer – e nossa, como tinha vontade. Meu organismo entendia que meu corpo estava pedindo comida, achando que estava sem reserva de energia. Mas na verdade era só a insulina lá no topo depois de belo sanduíche com pão francês ou um inocente iogurte desnatado com aveia.

Nos primeiros dias você sente falta do bendito pão no café da manhã, mas acha legal comer ovos mexidos com parmesão, manjericão e uma xícara grande café com nata ou manteiga. SIM, café com manteira – sacia demais e não é ruim.

Na segunda semana você acaba ficando mais relax, mas não se importe se a vontade por um doce ou por um belo pedaço de pão apertar. Acredite, você NÃO precisa deles.

Li no blog da Mariana uma coisa super certa: o maior erro das pessoas que aceitam a dieta LCHF é tentar reproduzir todos os alimentos alto cairboidrato na versão low carb e, amiga, acredite, não vai rolar.

O pão não vai ficar igual ao pão francês – talvez igual ao pãozinho caseiro – vai te saciar a vontade, mas não fique tentando loucamente fazer o pão low carb ser igual ao pão “normal”,  porque não vai ser.

A ideia aqui é: comida de verdade pelo resto da sua vida.

A lista dos “pode” e “não pode” é maior para o lado do pode e, acredite, você não vai sentir falta do lado do “não pode”. Confia aqui numa pessoa totalmente viciada em porcarias e que comia o tempo todo! Meu café da manhã era pão francês, café com leitem com adoçanete e queijo branco..mas ué, por que não emagrecia?

O QUE PODE COMER NA LCHF?
Tudo o que for natural. Folhas, legumes, ovos, carnes (todas), latícinios integrais, queijos amarelos (se você não intolerante, claro), café, chá, água, algumas frutas (morango, kiwi, maracujá, coco e abacate). E você vai evitar açúcar e alimentos com amido (como pão, massas, arroz e batatas).
Não se preocupe com gorduras. Elas serão o combustível para seu organismo.

Não confunda LCHF com Dieta da Proteína. São totalmente diferentes!

Essa lista aqui do Dr Souto é incrível e a tenho impressa. Hoje já sei de cor, mas no começo ajuda demais.

Sobre QUANTIDADES
O quão chato é contar calorias? E pontos? Me livrei mais disso com a LCHF. A ideia aqui é comer quando estiver com fome e até que fique satisfeito.

Muitos viram a cara com a LCHF porque acham que ficarão presos em casa sem poder mais comer fora. Eu rio! Gente, nunca me diverti tanto em restaurantes! Tenho fotografo vários pratos e, ao longo dos posts, vou publicando. Mas só para vocês terem ideia, olha como o prato pode ser:

O Ráscal é um restaurante que sempre amei só que ele é mediterrâneo e tem uma estação incríveis de massas. Sempre ia lá para comer massas, molhos etc e nunca dei bola para a mesa incrível de saladas. Olhem meu prato abaixo. Muitas folhas, pimentão, ovos de codorna (estavam abaixo das folhas), palmito pupunha assado, guacamole… “Creeedo, mas só isso aí?” Gente, eu não consegui terminar. Você não tem ideia o quanto pode se saciar com as quantidades adequadas de cada grupo alimentar.

comer-fora-lowcarb-lchf_restaurantes

Também tenho amado churrascarias e me divirto no buffet. Nessa até tinha ovo frito 😛

Antes que perguntem: sim, meu exame de sangue nunca esteve tão bom! <3

RESUMINDO: escolhi a LCHF não para ser a minha dieta do momento, mas por acreditar com que ela eu consiga ir mais longe e para sempre, principalmente.

Não sinto falta do arroz, do feijão, do Toddynho de manhã e nem da lasanha. Estou no meu 4º mês de LCHF e a “vontade de doce” – (na TPM, quem nunca?) desapareceu. A fome constante, a vontade de comer também foram embora. Alimentação saudável é assim: que te sacia e que te deixa bem.

Não quero “convencer” ninguém a seguir essa alimentação. Só estou relatando o que deu certo COMIGO (e com um monte de gente mundo agora, joga a hashtag #lowcarb no insta para ver!) e, como me pediram, vim aqui contar o que ando fazendo para elimitar tudo isso que não me pertence! 🙂

Sobre quantas vezes comer, o que estou comendo etc, vou falando aos poucos. Me falem também suas experiências e o que gostariam de saber.
Vou indo porque o post já ficou enooorme e espero que tenham gostado.

Quem está comigo nessa?! #bora

Um beijo!

  • Responder
    Erica
    outubro 20, 2016 at 13:33

    Nossa que legal!! Não conhecia muito sobre essa dieta e achei bem legal 🙂
    Que delicia poder sair e comer tranquilo, sem ter que ficar contando pontos ou comendo só barrinhas e castanhas…
    Beijos Dani

  • Responder
    Cristiane
    novembro 16, 2016 at 14:29

    Oi, Daniele. Também estou num processo de emagrecimento e mudança de alimentação para a comida de verdade. Não cortei carboidratos, pois sinto falta. Porém, uma coisa que me deixa desanimada Às vezes é quando chega a um platô e o peso parece estacionat. Você teve isso com os alimentos low carb?

  • Responder
    Tatiana Lambert Brasil
    novembro 16, 2016 at 19:06

    Que lindo depoimento. Eu fui magra até os 13 anos, e minha mãe cismou que eu e meu irmão estávamos “anêmicos” (oi?! exames de sangue, que nada!), e passou a empurrar Sustagem depois DO ALMOÇO! 3 meses e eu virei uma bola. Nunca mais consegui manter um peso adequado!!! Aos 35 anos, eu durmo e acordo chateada porque minhas roupas de 2014 não servem mais…

    Tenho uma enteada de 6 anos, e minha sogra diz que ela é “magra véia”, minha mãe diz que “ela é muito magra”… e eu digo categoricamente: ela é saudável, tem uma alimentação (conosco, guarda compartilhada – semana sim, semana não) adequada com muitas frutas, legumes e verduras, sem carboidratos refinados, sem refri, sem açúcar refinado, com lancheira preparada pelo pai (meu marido) todo santo dia… lancheira-exemplo na escola.

    Parabéns pela iniciativa, muitas de nós choram escondidas no banheiro, comem pra “afogar” as decepções, e se desesperam nos provadores das lojas.

  • Responder
    NATHALIE SUDBRACK DA GAMA E SILVA BELMONTE
    novembro 18, 2016 at 17:21

    Oi! Gostaria de saber quantos quilos tu já perdeu e em quanto tempo. Está me parecendo uma boa idéia esta dieta. Vou ler os sites que indicaste. Obrigada por compartilhar tua experiência.

  • Responder
    Carla
    dezembro 14, 2016 at 15:37

    Oi Dani! Comecei a low carb há uns 3 meses e mudou a minha vida. Emagreci uns 5 kg e não passo mal logo depois que como (o que acontecia praticamente todos os dias), sem contar que aquela vontade louca de comer o tempo todo foi embora. \o Parabéns pelas conquistas e vou continuar te acompanhando! Beijos

  • Responder
    Silvana Ferrari
    dezembro 17, 2016 at 17:37

    Nossa, Dani, a primeira frase é exatamente o que acontece comigo, sempre dou essa resposta! E sim, dieta é o que vamos comer para sempre, é estilo de vida. Amo o low carb e estou amando o blog novo. Beijos.

Comentário